Prefeitura apresenta projeto de macrodrenagem para moradores da região central
12/04/2019 14:04 em Variadas

Uma reunião entre representantes da Prefeitura de Rio Grande e moradores dos bairros centrais do município teve como objetivo apresentar o projeto Macrodrenagem – Saneamento para Todos, executado pela administração municipal com recursos do PAC I (Programa de Aceleração do Crescimento) e Finisa (Caixa Econômica Federal). Além de mostrar a importância do projeto para evitar futuros e históricos alagamentos nos bairros Centro, Cidade Nova e Lar Gaúcho, secretários e engenheiros da Prefeitura responderam a questionamentos dos moradores sobre possíveis transtornos causados pelas obras. O encontro ocorreu na noite de quarta-feira (10), no Salão Nobre Deputado Carlos Santos, e contou com a participação do prefeito Alexandre Lindenmeyer e de vereadores.

O projeto de macrodrenagem tem custo total de R$ 33,4 milhões e consiste na realização de obras de drenagem para o escoamento das águas da chuva e a pavimentação ou a repavimentação de diversas ruas do município. Já foram construídas duas casas de bombas, nas ruas Almirante Barroso e Avenida Ipiranga, e cinco ruas já receberam as obras do projeto. Além dos bairros Centro, Cidade Nova e Lar Gaúcho, obras de macrodrenagem vão atender aos moradores dos bairros Castelo Branco, Nossa Senhora de Fátima, Profilurb, São Miguel e Vila Maria.

Na semana passada, mais uma frente de obras foi aberta no município, dentro do projeto de macrodrenagem. A Prefeitura de Rio Grande iniciou as obras na rua Dr. Nascimento, no Centro. O trecho atinge desde a Avenida Major Carlos Pinto até a rua General Canabarro. O serviço iniciou na quarta-feira (3) e integra um conjunto de nove ruas consideradas “pontos chaves”, de acordo com a secretária de município de Gestão de Projetos e Programas Especiais (GPPE), Darlene Pereira.

Sete comissões de acompanhamento de obras já foram formadas após reuniões com os moradores. Essas comissões são chamadas de CAPs (Comissões de Acompanhamento de Projetos) e estão definidas dentro do Trabalho Social de Gestão Participativa.

Sugestões dos moradores

Para o secretário Rodrigo Barreto, titular da Secretaria de Município de Infraestrutura (SMI), “o foco destas reuniões é o diálogo com as comunidades, em que apresentamos o trabalho que está sendo executado, escutamos as demandas dos moradores em relação às obras. Com base nesse diálogo, pressionamos os demais envolvidos para melhorar o andamento dos trabalhos, bem como aceleramos nossa construtora para entregar o produto final o quanto antes e dentro do cronograma estabelecido”.

Barreto esclarece que, ao final de cada reunião, como a de quarta-feira, uma comissão de moradores é composta para acompanhar junto com as secretarias envolvidas com as obras o dia a dia dos trabalhos. “Escutamos os problemas que os moradores apontam e passamos nossa versão para que a resposta seja repassada a toda a comunidade dos bairros envolvidos. É uma forma de vivenciarmos com a população o dia a dia das obras que trarão grandes benefícios a todos no futuro”, completa. O secretário entende que toda a obra a ser executada gera transtornos “e temos (Prefeitura) que superá-los diuturnamente”.

A secretária Darlene Pereira, cuja pasta é responsável pelo projeto de Macrodrenagem, afirma que essas reuniões são importantes porque mostram o que a Prefeitura está fazendo e como os moradores estão percebendo os trabalhos executados. “Essa troca, esse diálogo com as comunidades é fundamental”, comenta. “As reuniões tem como objetivo compreender a importância das obras e os possíveis problemas que as pessoas enfrentam com a execução dos trabalhos. Assim, somos auxiliados a buscar as melhores soluções”, acrescentou a secretária, lembrando que todas as melhorias posteriores nas ruas (calçamento e recapeamento asfáltico) abertas para receber o serviço de macrodrenagem não vão ter custos repassados para os moradores.

 

Assessoria de Comunicação PMRG

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE