Biblioteca é espaço de socialização do conhecimento no Cassino
11/03/2019 09:33 em Variadas

 

Avenida Rio Grande, 69, balneário do Cassino. Talvez muitos não reconheçam, mas devem comparecer no local todas as semanas. Durante vários anos, este endereço teve outras funções e chegou a ser sede de um posto policial. Desde 1991, o espaço é frequentado por centenas de moradores, de todas as idades, que vão em busca de um só prazer: o gosto pela leitura. Ali está instalada a Biblioteca Amaury dos Santos, instituída em 10 de outubro de 1985 como entidade pública de responsabilidade da Prefeitura Municipal.

Milhares de livros e centenas de leitores (sócios da Biblioteca) formam uma grande parceria, dia a dia, neste “espaço de socialização”, definido assim pelo secretário de Cultura da Prefeitura de Rio Grande (SeCult), Ricardo Freitas. Para ele, essa Biblioteca está bem localizada. Como atende aos anseios e as necessidades dos moradores e de quem frequenta o balneário do Cassino, o ano inteiro, ele garante que ali ela vai permanecer e deve ser, ainda mais, qualificada.

“Vamos enriquecer o acervo e informatizar a Biblioteca, proporcionando melhor catalogação dos livros e o cadastramento digital dos antigos e de novos sócios. O livro nunca vai perder o seu lugar”, acrescenta o secretário. Atualmente, a Biblioteca Amaury dos Santos conta com quase mil sócios e mais de 10.500 livros catalogados.

Literatura rio-grandina

Outra idéia que já começou a ser implantada é a de transformar a Biblioteca Amaury dos Santos em uma referência municipal da literatura rio-grandina. A seleção de diversas obras e a adequação de estantes para acomodar este tipo de obra está sendo executada, conforme explica a bibliotecária Simone Bobadilho, responsável pela Biblioteca. Entre as obras de autores rio-grandinos disponíveis, os leitores podem escolher: Visões do Rio Grande (Francisco das Neves Alves e Luiz Henrique Torres), Forte – Jesus, Maria José (Victor Hugo Rodrigues)  e Mulheres – Em cada perfil uma história (Glecy Therezinha Freitas Andrade). Mas há muito mais literatura para todos os gostos e faixas etárias.

Ações nos bairros

Com o encerramento do Verão Cultural, a Prefeitura de Rio Grande, por meio da Secretaria de Cultura, começa a definir, na próxima semana, as atividades para atender ao setor que envolve todas as bibliotecas municipais, bem como acentuar a descentralização dos programas que as envolvem. Para tanto, vão estar reunidas com o secretário da pasta as bibliotecárias responsáveis pelas três bibliotecas do município – Amaury dos Santos, Érico Veríssimo e Monteiro Lobato -, mais o Núcleo de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas Municipais, órgão vinculado à SeCult.

Para a administração municipal, as bibliotecas têm um papel importante para o desenvolvimento e ampliação de conhecimento da população rio-grandina. Por isso, em 2019, conforme frisa o secretário Ricardo Freitas, o foco será na descentralização das atividades. Ele reforça: “Não vamos esperar os leitores virem a nós; vamos levar os projetos culturais da Prefeitura à população nos bairros.”

Facilidade para ser sócio

O desejo para que o espaço da Biblioteca Amaury dos Santos seja fortalecido fica bem claro, quando são analisadas estatísticas de retiradas de livros e os números de sócios da Biblioteca, não só durante a temporada de veraneio, mas em todos os meses do ano. Se comparado com o ano 2015, o acervo da Biblioteca Amaury dos Santos em 2019 teve crescimento significativo. Naquele ano, havia 8.400 livros. Hoje, são quase 11 mil livros, sendo que 80% das obras são de literatura brasileira, estrangeira, infantil, infanto-juvenil e romances espíritas. Os 20% restantes são livros de diversas áreas de estudo e pesquisa, como Psicologia, Filosofia, História e Geografia. Todas as obras são fruto de doações, feitas, diariamente, na própria biblioteca ou nos programas de desenvolvidos pela Prefeitura.

A coordenadora do Núcleo do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas Públicas da SeCult, Luciana Gepiak lembra que existem os sócios-matinais da Biblioteca Amaury. “Muitos são idosos, que vão ao supermercado ou têm outras tarefas pela manhã, mas sempre encontram tempo para passar na Biblioteca e retirar um ou mais livros”, aponta. Simone Bobadilha comemora que um idoso com 90 anos é um dos mais assíduos frequentadores e chega a retirar de três a quatro livros por semana.

A Biblioteca Amaury dos Santos é uma estrutura gratuita disponibilizada pela Prefeitura de Rio Grande, sendo a única nestes moldes no balneário do Cassino. Para se associar, o interessado deve apresentar apenas RG, CPF e comprovante de residência.

Eu amo ler

Entre os vários programas para o fortalecimento da leitura em Rio Grande, destaque para o “Eu amo ler”. No próximo dia 18, na Praça Xavier Ferreira, uma nova edição deste programa estará sendo executada. Assim como ocorre todos os meses, a troca de livros é o eixo desta proposta. Todos os envolvidos e a população em geral levam livros para serem trocadas na Praça. Quem tiver livro em duplicada troca por outro de seu interesse. Participam dessa atividade todas as três bibliotecas municipais (Amaury dos Santos, Érico Veríssimo e Monteiro Lobato), mais a Biblioteca Rio-grandense, a Secretaria Municipal de Educação, Sesi/Fiergs e o ILA/FURG com o projeto Socializando Leitura.

Outro projeto realizado pelo Núcleo do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas Públicas da SeCult é o "Ondas da Leitura". Esse ano, foi realizada a 4ª edição, nos meses de janeiro e fevereiro, numa estrutura montada na parte externa da Biblioteca Amaury dos Santos. Nos quatros anos do projeto, foram desenvolvidas oficinas acadêmicas, contação de estórias, brincadeiras para estímulo da motricidade, saraus literários e troca de livros. Todas as ações sempre têm o intuito de captar novos leitores, estimular o gosto pela leitura e valorizar o espaço cultural que é a Biblioteca, aponta Simone Bobadilho.

Convite

Amaury dos Santos foi bancário, sócio da Sociedade Amigos do Cassino (SAC) e superintendente da autarquia do Cassino. Dentro da biblioteca que leva o seu nome, há uma fotografia que o identifica. Na porta de entrada deste espaço cultural, um convite à boa leitura chama a atenção. É um pensamento do poeta gaúcho Mario Quintana: “Os livros não mudam o mundo, mudam as pessoas, que mudam o mundo.”

Palestra

Na próxima quarta-feira (13), a Prefeitura Municipal do Rio Grande, por meio da Secretaria de Município da Cultura e seu Núcleo de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas Públicas, irá realizar uma palestra com o Prof. Dr. Claudio Renato Moraes, tendo como tema o papel das bibliotecas públicas. A ação será desenvolvida como homenagem ao Dia do Bibliotecário(a), comemorado em 12 de março.

 Assessoria de Comunicação / Prefeitura de Rio Grande

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE