Novos aparelhos de ventilação não invasiva começam a ser utilizados no HU-Furg
10/07/2019 12:26 em Variadas

Desde o final do mês de junho, os pacientes adultos internados no Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr. da Universidade Federal do Rio Grande (HU-Furg), vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), passaram a ter acesso a mais uma forma de tratamento, com a utilização dos aparelhos de ventilação não invasiva (VNI). O tratamento está sendo organizado pelo Serviço de Fisioterapia do Hospital, ligado à Unidade de Reabilitação da Gerência de Atenção à Saúde (GAS).

 A ventilação não invasiva surge como alternativa de um suporte ventilatório que utiliza a pressão positiva sem o uso de tubos traqueais. Ela provê assistência ventilatória com o uso de máscaras na interface paciente-ventilador, isto é, utiliza interface externa. A decisão quanto à utilização terapêutica dos novos aparelhos é acordada entre as equipes fisioterapêutica e médica. Anteriormente, a aplicação da VNI só era realizada por meio de ventiladores mecânicos tradicionais. Agora, estão sendo utilizados ventiladores portáteis de fácil transporte e mais econômicos. Eles também possuem mecanismos de compensação de fuga de ar e tempos de rampa, permitindo ao doente adaptar-se, gradualmente, às pressões estabelecidas. Por isso, são melhor tolerados pelos pacientes.

 Existem dois métodos para aplicação da VNI com pressão positiva: pressão positiva contínua em vias aéreas (CPAP - Continuous Positive Airway Pressure) e ventilação com dois níveis pressóricos (BiPAP - Bilevel Positive Pressure Airway). A VNI é indicada no tratamento de insuficiência respiratória secundária a exacerbações da doença pulmonar obstrutiva crônica, na apneia obstrutiva do sono e no edema pulmonar cardiogênico. Os principais efeitos são: reduzir o trabalho da respiração e a frequência respiratória, aumentar o volume corrente de ar, melhorar a troca gasosa e a dispneia, promover o repouso da musculatura respiratória e o conforto do paciente. Suas principais vantagens são manter a capacidade de falar e de tossir, reduzir a necessidade de sedação, diminuir o risco de instabilidade hemodinâmica, confusão mental, infecções hospitalares e lesões traqueais. Além de preservar a atividade da musculatura respiratória, diminuir o tempo de ventilação mecânica invasiva, permanência na UTI e aumentar a sobrevida do paciente.

 A VNI é um dos recursos disponíveis, dentre diversos outros, para os atendimentos fisioterapêuticos. A Fisioterapia é uma ciência da área da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas. Os fisioterapeutas do HU-Furg atuam nas UTIs Neonatal, Pediátrica e Geral e nas unidades de internação da Pediatria, Clínicas Médica e Cirúrgica, Traumatologia, Maternidade e Serviço de Pronto Atendimento (SPA). 

 

Sobre a Rede Hospitalar Ebserh

O Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr. da Universidade Federal do Rio Grande (HU-Furg) faz parte da Rede Hospitalar Ebserh desde julho de 2015. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

 

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, a os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

 

Assessoria de Comunicação do HU-Furg/Ebserh​

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE